Notamos que você possui
um ad-blocker ativo!

Para acessar todo o conteúdo dessa página (imagens, infográficos, tabelas), por favor, sugerimos que desabilite o recurso.

Negócios

06/06/2022

Consumidor espera que empresas se posicionem sobre impactos causados à sociedade

Canal UM BRASIL entrevista Valéria Café, diretora de Vocalização do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa

Ajustar texto: A+A-

Consumidor espera que empresas se posicionem sobre impactos causados à sociedade

Valéria Café, integrante do Comitê ESG da FecomercioSP
(Foto: divulgação)

As pesquisas sobre as relações de confiança entre as empresas e todo o seu entorno têm mostrado como o consumidor está mudando o comportamento, muito em razão da grande quantidade de informações disponíveis – principalmente nas redes sociais. Por isso, é essencial que as companhias construam uma comunicação direta com o cliente e se posicionem a respeito dos assuntos de interesse à sociedade. 

A comunicação se tornou um fator imprescindível para o futuro dos negócios; estar alheio está “fora de jogo”, defende Valéria Café, diretora de Vocalização e Influência do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) – e integrante do Comitê ESG da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). 

“Não tem como estar alheio. Não cabe mais achar que basta não falar que continuará vendendo produtos. Hoje em dia, entendemos que não se posicionar é um posicionamento. O consumidor espera que a empresa seja um agente de transformação, que o CEO diga o que pensa [sobre determinado tema] e deixe claro o posicionamento do negócio em relação a isso. É o que temos visto em campanhas, para que o cliente escolha não somente o produto pelo produto, mas por aquilo que a companhia representa”, afirma. 

Confira mais entrevistas do UM BRASIL
Sociedade ganha quando empresas se organizam para realizar investimentos de impacto
ESG é a transformação para que as empresas continuem existindo no futuro
Empresa estará “fora do jogo” se não der importância ao social do ESG
Práticas ESG pressupõem respeito aos direitos humanos nas empresas
Varejo “com causas” e valorização do humano são fundamentais para os negócios que querem sobreviver

Em entrevista ao UM BRASIL, uma realização FecomercioSP, Valéria ressalta que, cada vez mais, temos visto um consumidor consciente, que exige que as empresas pensem nos impactos que estão causando à sociedade, não apenas quanto aos melhores usos da água e da terra, mas também sobre a produção dos alimentos que comercializam, a origem das roupas que fabricam, como é toda a cadeia produtiva da organização etc. 

Outro tema constantemente no foco do consumidor é o nível de diversidade entre os trabalhadores da empresa e na cadeia de fornecedores. “É uma preocupação que não só as grandes empresas têm de ter, mas as pequenas também, pois as grandes compram das pequenas e médias, e esta conscientização a respeito de seus impactos será exigida delas”, Valéria pondera. 

Na entrevista, comandada pela jornalista Joyce Ribeiro, a diretora ainda fala sobre o aspecto “governança corporativa” do ESG. 

“Governança é um sistema no qual as empresas são dirigidas, monitoradas e incentivadas. É uma forma de estruturação de processos, mas também de implementação de princípios de transparência, equidade, prestação de constas e responsabilidade corporativa. As questões ambientais e sociais [como contratações] precisam ser tratadas de forma estratégica, inseridas nas relações da empresa com as pessoas, com seu entorno e com o meio ambiente”, conclui.

Fechar (X)